Morreu David Sassoli: Líder do Parlamento Europeu homenageado como “europeu dedicado” que lutou pelo “bem comum”

Em Mundo/Nacional

O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, que morreu esta madrugada aos 65 anos, foi alvo de uma homenagem espontânea no Parlamento Europeu, e foi recordado pelos líderes políticos e instituições europeias como um “europeu dedicado”, na luta pelo “bem comum”.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, expressou a sua tristeza e comoção após a morte do líder do Parlamento Europeu (PE), frisando que Sassoli fará falta pelo “seu calor humano, generosidade, simpatia e sorriso”.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, também no Twitter, lamentou a morte de “um grande europeu e italiano”.

Também o Banco Central Europeu (BCE), instituição liderada por Christine Lagarde, manifestou a sua consternação pela morte de David Sassoli salientando que “era um europeu dedicado, um apaixonado presidente do Parlamento Europeu desde 2019 e um lutador pela democracia europeia e pelos direitos humanos”.

O sumo-pontífice católico, o Papa Francisco, homenageou o presidente do PE, num telegrama enviado à viúva de Sassoli, divulgado pelos serviços do Vaticano, salientando a morte de um “crente animado de esperança e caridade que, de forma pacífica e respeitosa, trabalhou para o bem comum com um compromisso generoso”.

Também os líderes dos sete grupos políticos no PE lamentaram hoje a morte do presidente da instituição, David Sassoli, aos 65 anos.

O chanceler alemão, Olaf Scholz, considerou que “a Europa perdeu um presidente de Parlamento empenhado, a Itália um político sensato e a Alemanha um amigo”.

Já o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, compatriota de Sassoli, homenageou “um símbolo de equilíbrio, de humanidade e de generosidade”, enquanto o seu homólogo holandês, Mark Rutte, evocou “um trabalhador árduo ao serviço da Europa e fervoroso defensor dos seus valores e princípios”.

O primeiro-ministro português, António Costa, recebeu hoje com “profunda tristeza” a notícia da morte de “um amigo”, com quem trabalhou de perto nos últimos dois anos e o líder do executivo espanhol, Pedro Sánchez, lembrou o “grande defensor dos valores europeus”.

Também a comissária europeia portuguesa, Elisa Ferreira, manifestou a “profunda tristeza” pela “perda prematura” de Sassoli, lembrando-o como “um homem de princípios e integridade”.

Por seu lado, o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, manifestou-se chocado com a morte súbita de Sassoli.

O Alto Representante da UE para a Política Externa, Josep Borrell, expressou uma “grande dor” pela morte do presidente do Parlamento Europeu, “um político valioso, mas, acima de tudo, um amigo”.

Já a presidência francesa do Conselho da União Europeia (UE) manifestou o profundo pesar pelo falecimento de David Sassoli, lembrando a sua “dignidade, profissionalismo e devoção”.

As bandeiras da UE na sede da Comissão Europeia, em Bruxelas, foram colocadas a meia-haste para homenagear David Sassoli, com o executivo comunitário a destacar “um europeu apaixonado e um italiano orgulhoso”, numa nota divulgada na rede social Twitter, juntamente com uma fotografia da homenagem, realizada no edifício Berlaymont, sede da Comissão.

Também o PE colocou as suas bandeiras a meia-haste “em honra” de David Sassoli, tinha avançado a assembleia europeia no Twitter.

Perto de 300 pessoas, na sua maioria eurodeputados, assistentes e funcionários do Parlamento Europeu, reuniram-se hoje, de forma espontânea, em frente à sede da instituição, em Bruxelas, para homenagear a memória do primeiro presidente que morreu em funções, segundo relataram as agências internacionais.

O PE vai homenagear David Sassoli na abertura da próxima sessão plenária, na segunda-feira, em Estrasburgo, França, na presença do antigo eurodeputado e ex-primeiro-ministro italiano Enrico Letta.

Segundo um comunicado, a abertura da sessão plenária em Estrasburgo será marcada por uma homenagem a Sassoli, eleito eurodeputado em 2009 e que presidiu à instituição entre julho de 2019 e 2022, que será conduzida pela primeira vice-presidente e candidata à sucessão, a maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu (PPE).

A candidata do PPE para suceder a David Sassoli como presidente do Parlamento Europeu (PE), disse hoje estar de “coração partido” com a morte daquele político, salientado que “a Europa perdeu um líder”.

As cerimónias fúnebres de Sassoli, segundo divulgou o porta-voz do presidente do PE, Roberto Cuillo, iniciam-se na quinta-feira, com uma câmara ardente, em Roma, das 10:00 às 18:00 (menos uma hora em Lisboa).

O funeral terá lugar na sexta-feira, 14, às 12:00 (11:00 de Lisboa) na igreja de Santa Maria degli Angeli, também na capital italiana.

Sassoli morreu hoje aos 65 anos num hospital em Itália, sendo o primeiro presidente do PE a morrer em exercício de funções nas quais estava prestes a ser substituído, no cumprimento de um acordo de partilha do mandato de cinco anos.

David Sassoli contraiu uma pneumonia em setembro de 2021, que o obrigou a receber tratamento hospitalar em Estrasburgo, França, e, embora tenha recebido alta hospitalar uma semana depois, prosseguiu a recuperação em Itália e esteve mais de dois meses ausente das sessões plenárias do parlamento, regressando no final do ano.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Recentes de Mundo

Feedback
Ir para Início